Se Encontrar – By Harryson

Despedi de mim naquele velho barco
Mas trouxe no bolso um pequeno frasco
Uma mensagem, um marco, um arco
Por onde passaram quem nessa passagem vem
Pra dar apoio pra alcançar o que irá te cortar
Até lapidar nos valores dos prontos pra amar
Seus pontos ligar até saber desenhar
Conciliar, alinhar, caprichar quando pintar
Não esquecer de misturar, o destino costurar
Menino, se se encontrar chorando, chore um mar
Navegue, se seque, no braço carregue
Atravesse o espaço do tempo que fere
Se cure, segure, não curve, por mais densa nuvem
É depois da tempestade que as coisas surgem
Em terra firme faça que as coisas mudem
O homem que se tornou rio, despediu e ficou
A ver navios… eu continuo a ver navios
O que deixou meu cais vazio?
Muito provável que agora eu possa me ver
A ver navios… eu continuo a ver navios
O que deixou meu cais vazio?
E o que mais doi na vida ?
A cicatriz ou ferida?
O que me cura enquanto segue a rima?
Loucura é pensar em ver tudo lá de cima
Pequenina a chance de viver se não me ver
Não se torna valiosa a vida
E o quanto é dolorosa a vida
Quando insiste em não aprender o que ensina
O renascer no amanhã cedo, vai
Vença o medo, não é segredo
Que é possível mudar o enredo
Seja o trevo mais bonito a quem passar por você
A quem devo minha vida por fazer compreender
Não nego, possa vir a existir o que tiver que existir
Eu estarei aqui com vocês, pode o céu abrir
Mais de uma vez, voltar tudo outra vez, a volta
Ao mundo vendo tudo o que fez, no mais profundo
Sentimento, na falta de argumento, sinta a atmosfera do
Momento, o que falo comigo por dentro pedindo aos quatro
Ventos, pedindo que sustento santo lamento
O pranto do movimento dessa esfera que não espera
Mas o infinito vence a guerra
Porque o homem que se tornou rio chorou oceano
Viu tudo inundando, toda água baixando, toda magoa
Pingando no mesmo lugar a anos, úmido o chão
Unido ao vão, ilusão pelos canos, tudo mudando
Tudo acontecendo na vida ao mesmo tempo
Pensando na minha vida em outros tempos porque
De uns tempos pra cá, difícil explicar, só depois que volte
Ao ventre que pude ventar, pude amar sem pudor
Poder olhar o valor, mergulhar no próprio rio
Amar em outros barcos, cuidar dos pontos fracos
Remar até atravessar o arco
Portão se abriu, na esperança eu passo a ver navios.

 

Escrito por Harryson Souza, Cantor, Compositor e Produtor. Faz parte da Gravadora Projeto 011. Além de tudo, é uma pessoa fabulosa e um amigo eterno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: